TARTINE, CHIADO

t  e r ç a - f e i r a  1 5 - m a r ç o - 2 0 1 6


Dos dias bonitos e dos almoços deliciosos. Com a chegada dos dias solarengos e tardios, de céu imenso e azulado faz todo o sentido partilhar, ao longo desta semana, aquele dia, em meados de novembro, com ela, na capital. Uma série de artigos saborosos, culturais e saudosos é o que vos posso garantir. E se pretendem fugir da rotina, ocupar um domingo de primavera - que se aproxima - ou as férias - sortudos! - espreitem os próximos registos!




Entre um passeio pelo Terreiro do Paço, pela Baixa Chiado ou pelo Rossio aquela manhã já estava recheada de boas memórias, de histórias partilhadas e de sorrisos bonitos. Entretanto, a manhã tardara em chegar ao fim - o tempo passa a voar! - e o cansaço e a fome instalavam-se aos poucos. 


E ali, em pleno Chiado, entre direções acertadas e perdidas, deparamos-nos com a Tartine; ali mesmo, naquela rua estreitinha, quase despercebida. Um almoço delicioso e uma pausa reconfortante chamavam por nós. E, boas ouvintes como somos, seguimos. 

No ar pairava aquele aroma delicioso, aquele cheirinho de pão acabado de fazer, quentinho; um deleite, um misto de sensações que nos conquistava a cada suspiro. À - quase - entrada, encontrávamos uma sala acolhedora, em tons de castanho em que a madeira reinava; tão tão simples e bonita. Os detalhes não são muitos, os suficientes para encherem o espaço cheio de harmonia e nada de exageros. Assim. Simples. Como gostamos. Por trás, uma sala exterior, que tanto elogiei e mimei. Aliás, acabamos mesmo por almoçar lá fora tanto não fui o nosso olhar apaixonado. 


O espaço apresentava alguma afluência, no entanto, não foi desculpa para demoras, esperas ou atrasos; fomos servidas na hora certa, com a calma e o tempo que precisávamos. A esplanada, aquela que tanto gostei, apresentava-se luminosa e ampla, e sempre com pequenos apontamentos - os essenciais, diria. Tudo para que a refeição fosse muito muito agradável e mimada.


Duas limonadas foram o nosso primeiro pedido; entre a simpatia e um atendimento cinco estrelas, acabámos por escolher uma lasanha - uma para as duas - como almoço daquele dia. Esta acompanhada por salada variada. O senhor - o dono, presumo - que nos atendeu de forma tão atenciosa e comunicativa, assegurou-nos que sairíamos satisfeitas; raparigas de pouco alimento, portanto. Quanto à lasanha estava ótima, muito bem confecionada e temperada - se assim o podemos dizer. Um prato muito saboroso, agradável e apetitivo. O suficiente para voltarmos, espreitem:


Com água na boca? Pois, têm mesmo razão para estar. Que delícia que estava. Entretanto, aquela refeição estava a chegar ao fim; o café cerrou aquela hora de almoço calma e acolhedora. Entre uns registos fotográficos, uma olhadela na revista de eleição - TimeOut - e conversas sem fim, esperávamos-nos uma tarde muito muito bonita!


Deste lado fica o desejo de voltar, de provar os famosos waffles com um cappucino ou um sumo natural, se o tempo o permitir. O que me sugerem?

Para terminar, podem ver outros tantos pormenores na aplicação gastronómica do momento: a Zomato. A minha crítica paira por aqui, espreitem, espreitem e deliciem-se com tantas outras! Entretanto, não podem perder o seguimento deste dia que tão bonito se tornou. O próximo artigo promete detalhes, inspirações, pormenores e beleza - muita beleza! Muitas coisas boas para preencherem um dia com a amiga de sempre, com ele ou com o grupo de amigos. Até já.

F o l l o w  m e : facebook | instagram | bloglovin | zomato

4 comentários:

  1. Estas imagens são apaixonantes, Lisboa é APAIXONANTE!! Gosto muito! Adoro tudo que tem a ver com a capital :).

    Seguii!

    xoxo*

    Bruna, do B.lliccious/

    ResponderEliminar
  2. Que bom aspecto! A lasanha, o café, a salada, tudo! Que vontade de experimentar :)

    ResponderEliminar
  3. Tem tudo tão bom aspeto! :) A Tartine já está na minha lista de sítios para visitar há muito tempo, mas acho que acabou de subir uns lugares depois destas fotografias lindas ahah

    ResponderEliminar