3# EM VIANA

SÁBADO  24 SETEMBRO 2016




Uma vila bonita e uma gelataria com pinta, uma praia e um horizonte sem fim, uma visita ao navio e um final de tarde delicioso – é assim que resumimos o terceiro dia por Viana do Castelo. Um terceiro dia que se revelou ser o preferido, um dia em que voámos ao sabor do vento, sem pressas. Um dia que enche este sábado de bonitas sugestões e de paisagens sem fim. Acompanha-me?




Desde já agradeço a quem tem acompanhado a série #emviana – confesso, que houve uns quantos contratempos até o artigo chegar a vós e que me desanimou um pouco, porém, é reconfortante saber que vocês ficam por aqui, à espera de mais novidades e sugestões bonitas. Um obrigada gigante – e sem mais demoras: há um artigo a ler! 
















CAMINHA
Podíamos fazer uns quantos trocadilhos desta bonita vila que paira no distrito de Viana do Castelo, porém, Caminha tem tanto tanto para contar e suspirar que se torna imperativo mostrar-vos quase de imediato o que a vila esconde – para mim a vila ou o local mais bonito destes quatro dias no Norte! 










































É uma vila pequena, antiga e com muita história – aliás, estas últimas vertentes são vistas em todo o património que já visitámos, tanto nas cidades de Viana do Castelo ou Valença ou outras tantas que ainda tenho para partilhar, o antigo e a história prevalecem em qualquer visita turística e, tal como já referi, são vertentes que adoro, estas também aliadas à modernidade, à atualidade.




















Não querendo desviar-me da partilha de hoje: é uma vila pequena, que se visita facilmente numa manhã e num passeio calmo entre ruas e ruelas, qualquer uma destas acaba por ir dar ao centro, à praça principal – característica da história. Apesar de pequena, há pormenores que captam logo a nossa atenção, desde a arquitetura aos vários comércios locais que por lá moram, do antigo ao moderno – estes sempre como grandes alicerces. 



































Rendi-me – e penso que foi aí que percebi a magia de Caminha – aos vários miradouros que a vila oferece. É algo de espetacular e infinito, o azul do rio a condizer com o azul do céu, as várias folhagens que complementavam todo aquele cenário, as nuvens que davam aquele plus à paisagem. Muitos muitos suspiros para as fotografias que se seguem.



























MIRADOURO M.te S.to ANTÃO
É daqui, do alto, que conseguimos observar toda a beleza que envolve a pequena vila, o rio Minho lá em baixo calmo e sublime. Observar um azul de outro mundo, conjugações que se aliam ao tempo que por lá se vive, um nevoeiro que complementa toda a magia que se vive lá em cima. Há fotografias que falam por si.

A registar: é – quase – impossível fazer o percurso a pé se estiverem de passagem, portanto, o carro será, certamente, o vosso alicerce mais seguro; o percurso é sempre a subir – não fosse o local um miradouro – no entanto, faz-se muito muito bem e sempre com uma paisagem magnifica como companhia. Uma sugestão? Acompanhem o silêncio que por lá se vive, e perceberão o quão calmo é tudo isto – o som dos pássaros, da brisa.. Não podem perder. 




MIRADOURO DA FRAGA
Ao seguirmos viagem – para baixo – vamos ao encontro de um outro miradouro, este mais simples, porém quase tão belo como o anterior. É, claro está, um ponto de passagem que não nos fica indiferente; aliás, ao contrário do primeiro, o Miradouro da Fraga consegue oferece uma panorâmica mais bonita e mais nítida da paisagem envolvente. 



Regressámos à vila, depois de admirarmos os quadros que Caminha oferece, resolvemos sentar e assentar por breves instantes; breves instantes que nos proporcionaram uma pausa deliciosa e uma casa muito muito bonita. Apresenta-vos a Amaya.


































AMAYA
Fica no centro da vila, na Praça principal e é um dos cantinhos mais bonitos que por lá mora. Alia o antigo com o moderno, um cuidado com a oferta e outro com a decoração, um atendimento cheio de sorrisos e muita simpatia. Uma esplanada exterior, ideal para os dias de calor que se sentiam em agosto – os nossos gelados valeram por tudo naquela hora. Podem também aproveitar os muitos petiscos da carta que serão, certamente, uma delicia! 


















Tive ainda a oportunidade de espreitar o interior e fotografa-lo – os pormenores captam a nossa atenção, assim como muitas das peças que complementam a decoração, esta meia antiga, mas cuidada. No primeiro piso da Amaya temos a Praça como protagonista, uma visão muito bonita enquanto trocamos dois dedos de conversa. Têm mesmo de visitar se estiverem por estes lados. 




















Despedimo-nos de Caminha de coração cheio, com a sensação que valera a pena todos os minutos de passeio, de caminha(da). Gostei. Mas gostei mesmo. Se estão pelo distrito de Viana, terão mesmo que visitar esta pequena vila raiana.


















PRAIA DO MOLEDO
De regresso a casa – que é como quem diz, a Viana do Castelo – tivemos a oportunidade de conhecer a Praia do Modelo. Os mais corajosos atreviam-se a dar um mergulho ou a sentar na toalha, nós, apenas quisemos ficar a admirar a paisagem, o cheiro do mar.

Comentámos também o quão, perdoem-me o trocadilho, intemporal é o tempo. Uns quilómetros depois e o sol cobriu-se – ficara em Caminha – e a brisa fresquinha ficou como protagonista.


















PRAIA NORTE
A Praia Norte também merece uma visita – e quicá, um mergulho. Confesso, que fiquei maravilhada com a beleza envolvente, as praias do norte tem algo a mais, um mais que nos reconforta tão bem. Admirada pelas piscinas de água salgada, vontade por dar um mergulho não faltou. 
















GIL EANES
De volta à cidade e ainda tínhamos um final de tarde a aproveitar, seria por volta das dezassete horas quando decidimos visitar o Hospital Gil Eanes. Para quem está na cidade, este monumento é paragem obrigatória. 

























A visita ao navio fica entre os 2€ - 4€ – a memória já me falha – e entre uma hora ou hora e meia conseguem visualizar a história que por lá paira, admirar muitos dos feitos em alto mar e alimentar o vosso conhecimento. 
















PETINGA DOCE
Para terminar, deixo-vos com uma doçaria local: petinga doce. Um bolo recheado com doce de ovos e gila, coberto por amêndoas e salpicado com um doce convencional. Uma delicia, acreditem – podem encontra-lo numa das pastelarias da rua mais movimentada de Viana. 
















E chegara ao fim. Um artigo meio longo, confesso, mas cheio de sugestões bonitas para apimentar o vosso sábado e, quiçá, uma vista ao distrito de Viana do Castelo. Espero que tenham gostado desta terceira partilha. Amanhã estamos de volta!

F o l l o w  m e : facebook | instagram | bloglovin | zomato

3 comentários:

  1. As memórias que estas fotos me avivaram. Apesar de morar em Lx, sou minhota e conheço muito bem todos estes lugares. Sou fã do miradouro da Fraga e do de Stº. Antão, fazia imensas caminhadas até lá. E se na viagem entre Caminha e Viana passou por Vila Praia de Âncora, ficou a conhecer a minha terra ;) E espero que tenha gostado :)

    Beijinhos

    Lina Soares
    http://trintaporumalinhanoticias.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  2. O meu pai está a turistar por Viana, e falou-me super bem! Gostava de conhecer um bocadinho melhor.

    Um beijinho
    Ana C, www.adreamersland.com
    www.facebook.com/adreamersland

    ResponderEliminar